O tecido adiposo é responsável por modelar a superfície do corpo abaixo da pele. Seu acúmulo em determinados locais é chamado de gordura localizada, uma alteração que nem sempre está relacionada ao peso corporal, pois pessoas magras também podem apresentá-la.

A sua localização depende de vários fatores, como herança genética, ação dos hormônios, dieta alimentar e a morfologia de cada pessoa. Em geral, o perfil do tipo andróide, conhecido como maçã, tende a acumular gordura no abdômen e na região do peito. No tipo ginóide, conhecido como pera, os depósitos são abaixo da cintura, nos quadris e coxas. As mulheres são as mais atingidas devido a uma menor tendência à metabolização da gordura nessas áreas.

Os tratamentos envolvem finalidades que vão além da estética, já que o acúmulo de gordura, principalmente na circunferência abdominal, está relacionado com a síndrome metabólica e representa maior risco cardiovascular. Portanto, depois de tratar, é preciso manter o peso corporal dentro da faixa saudável e fazer exercício físico aeróbico para queimar a gordura generalizada, garantindo ossos, músculos e a postura em boas condições.

As principais tecnologias usadas para eliminar a gordura localizada e melhorar o contorno corporal são a criolipólise, o laser lipólise e o ultrassom focalizado.

Criolipólise: É um tratamento não invasivo que destrói a gordura localizada, por meio de resfriamento intenso, provocando a sua eliminação gradual pelas células do processo inflamatório. É indicado para pessoas que estão próximas ao peso ideal ou não. O procedimento tem a duração de uma hora em cada área e os resultados podem ser observados de seis a oito semanas após a aplicação. É altamente eficaz.

Laserlipólise: Também chamado de lipolaser, é um procedimento realizado sob anestesia local que usa uma primeira ponteira para liquefazer a gordura e facilitar a sua drenagem. A técnica é pouco traumática e após a retirada da gordura, uma segunda ponteira é usada para firmar o tecido local. É altamente eficaz.

Ultrassom Focalizado: Ondas ultrassônicas atuam diretamente sobre o tecido adiposo, promovendo a ruptura de suas membranas sem atingir os vasos sanguíneos, linfáticos e o tecido conjuntivo. É um método pouco invasivo. As gorduras são processadas pelas vias naturais e, por essa razão, recomenda-se uma dieta de baixo teor de gordura após o procedimento, além da prática de exercícios para que a gordura seja consumida em forma de energia. É altamente eficaz.

Radio Frequência Seletiva: através da afinidade da RF com a gordura, faz-se um aquecimento seletivo no tecido adiposo, que sofre uma apoptose. Essas células são eliminadas por vias naturais em até 60 dias. São necessárias quatro sessões, uma por semana.

Laser de Diodo Fracionado: sistema de bioestimulação que emite sinais químicos nas células adiposas e vem a esvaziar a célula de gordura. É um processo seguro, rápido e indolor. Atua por placas (pads) posicionadas na região a ser tratada por 10 a 15 minutos.