É a aplicação, por médico especializado, de uma ou mais substâncias formuladas quimicamente com o objetivo de provocar a descamação de uma camada da pele e o nascimento de uma nova, sem imperfeições, firme e rejuvenescida. Os efeitos dessa terapêutica dependem das substâncias químicas empregadas e de sua atuação em cada camada da pele.

No peeling superficial são usados principalmente os ácidos salicílico, glicólico ou retinóico para atenuar rugas finas, clarear manchas, melhorar a textura e a firmeza.

No peeling médio é aplicado o ácido tricloroacético, que trata rugas mais pronunciadas, alguns tipos de cicatrizes da acne e lesões pré-cancerosas.

No peeling profundo é utilizado o fenol, cuja aplicação é dolorosa e só pode ser realizada em centro cirúrgico, sob anestesia geral. Provoca grande descamação que faz nascer uma nova pele firme, sem rugas, manchas solares, cicatrizes da acne, melasmas ou sardas. O fenol pode atacar o coração e fígado (cardiotóxico e hepatotóxico). O paciente tem que ser muito bem monitorado devido aos riscos que esta substância apresenta.

Os peelings médios e profundos também são usados para rejuvenescer a pele das mãos.

O melhor momento para fazer o peeling é durante o inverno para evitar manchas provocadas pelo sol. Pacientes de pele morena devem reforçar o uso de filtros solares após a aplicação de peelings, embora atualmente o uso de filtros solares potentes e chapéus e bonés de tecidos com proteção ultravioleta possam auxiliar definitivamente nessa fotoproteção.