O que é

A acne é uma afecção dos folículos pilo-sebáceos (unidade da pele formada por um pelo e por uma glândula sebácea) que se localizam na face e porção superior do tronco. 
Surge na puberdade ou em outras fases da vida, em ambos os sexos e em todas as raças, devido à presença dos hormônios sexuais (é mais grave no sexo masculino), existindo uma tendência hereditária. Ocorre pela associação de três causas principais: queratinização alterada do folículo piloso, hipersecreção da glândula sebácea por ação dos hormônios sexuais masculinos e presença de bactérias.

 

Como se classifica?

Grau I: existe predominância de cravos; Grau II: além dos cravos estão presentes pápulas (bolinhas vermelhas) e pústulas (bolinhas de pus); Grau III: associação de nódulos e cicatrizes; Grau IV (Conglobata): há ainda abscessos que se comunicam internamente, deixando cicatrizes deformantes; Acne Fulminans, quadro em que há um comprometimento geral do paciente devido ao quadro infeccioso sistêmico.

 

Mitos e verdades

Alimentação – é um mito que a alimentação piore ou até mesmo cause acne. Entretanto se houver tensão e culpa alguns alimentos podem ser desencadeantes neste processo.

Maquiagem – cosméticos oleosos podem agravar a acne. É fundamental utilizar cosméticos “oil free” ou isentos de óleos. Alguns, inclusive, contêm ativos que auxiliam no tratamento da acne por conter agentes secativos.

Sol – os raios ultravioletas atuam como anti-inflamatório sobre a pele, melhorando a acne. Pequenas quantidades de sol ajudam a melhorar a acne, porém, em grande intensidade, estimulam as glândulas sebáceas piorando a acne.

Pílula anticoncepcional – pode ser auxiliar no tratamento da acne, especialmente por conter em sua composição bloqueadores de hormônios masculinos, além dos hormônios femininos.

Hidratação – mesmo a pele oleosa pode ressecar, já que o que confere hidratação é a água, e não o óleo. A pele oleosa pode ser hidratada, quando necessário, porém com produtos sem óleo na composição.

 

Como prevenir-se?

Higiene adequada com produtos que diminuam a oleosidade da pele é fundamental. É necessário evitar lavagens em excesso (máximo 2 a 3 vezes ao dia) e uso de água quente, pois esses fatores estimulam as glândulas sebáceas. 
Limpezas de pele para retirar cravos podem auxiliar a não evoluir para espinhas, porém lesões já infeccionadas não devem ser espremidas. A manipulação incorreta de espinhas pode levar a uma contaminação de bactérias levando a processos inflamatórios mais graves e formação de cicatrizes.

 

Quais são os tipos de tratamento?

Apesar da acne juvenil na maioria dos casos regredir espontaneamente, a partir dos 20 anos, ela deve ser tratada para evitar cicatrizes, e pelo impacto psicológico que ela causa na vida dos adolescentes. Quando ocorre no adulto, tende a predominar no sexo feminino e eventualmente há a necessidade de avaliação hormonal na busca de alterações. O acompanhamento simultâneo do ginecologista e/ou endocrinologista pode ser necessário.

Tratamento da acne ativa – visa controlar o excesso de oleosidade da pele, a formação de cravos, a população de bactérias presentes na pele, e a inflamação quando ela existir, evitando assim as sequelas da acne. Tratamento das sequelas – incluem manchas escuras, claras e avermelhadas e cicatrizes deprimidas ou elevadas deixadas por uma história de acne grave.

 

Tratamento da acne ativa

– Tratamento clínico – prescrito pelo dermatologista para ser realizado pelo paciente em casa.

– Tratamento tópico – pode ser feito com ácidos e seus derivados, peróxido de benzoíla e antibióticos. Indicado para casos de acne I e II. O uso de filtro solar específico é obrigatório.

– Tratamento sistêmico – geralmente reservados para graus mais avançados de acne em associação ao tratamento tópico. Podem ser indicados antibióticos, terapia hormonal ou isotretinoína oral.

– Tratamentos complementares – o tratamento clínico pode ser associado a procedimentos em consultório para obtenção de melhores resultados. Podem ser indicados peelings químicos, microdermoabrasão, luz azul, terapia fotodinâmica, luz intensa pulsada, lasers.

– Peelings químicos – incluem principalmente ácido salicílico, retinóico, glicólico, tricloroacético, resorcina e associações. São aplicados sobre a pele acometida devendo permanecer tempo variável em contato com ela. Em alguns casos, após cerca de 48h inicia-se descamação leve (são peelings superficiais) que dura de dois a três dias.

– Microdermoabrasão – tipo de peeling mecânico feito com microcristais de hidróxido de alumínio em alta pressão, que “lixam” a superfície da pele propiciando esfoliação suave.

– Luz Azul – É uma ótima terapêutica para a acne, dispensando o uso de medicamentos, o que a torna muito indicada para o período da gravidez. Trata-se de uma máquina cujo feixe de luz azul atua no metabolismo da porfirina, que está relacionada à bactéria causadora da acne. A tecnologia do ClearLight faz com que o ritmo de destruição da bactéria seja maior do que o da sua proliferação, garantindo, assim, uma rápida redução do problema. O método é indolor, rápido, não tem contraindicação e nem efeitos colaterais.

– Terapia fotodinâmica – consiste na aplicação de um agente fotossensibilizante (ácido amino-levulínico) sobre a pele com posterior exposição à luz (para a acne usamos preferencialmente a luz azul). O ácido amino-levulínico tem afinidade pelas glândulas sebáceas. A energia luminosa promove uma reação química que destrói seletivamente este tecido. Geralmente ocorre descamação da área tratada por até três dias. Normalmente reservada para acne graus III e IV.

– Luz intensa pulsada e laser Nd:YAG 1064 – são métodos eficazes e seguros de tratamento. No caso da acne ativa, a ação produzirá redução da vermelhidão e fechamento dos poros.

– Associações – as técnicas acima podem ser associadas para que haja otimização do resultado.

 

Tratamento das sequelas de acne

O uso de medicamentos tópicos como ácidos e clareadores é indicado, porém pouco eficaz. Pequenos procedimentos realizados em consultório são necessários e trazem resultado extremamente satisfatório.

– Lasers fracionados – São lasers muito sofisticados e que produzem resultados expressivos nas manchas e cicatrizes de acne. Produzem milhares de pequenas e profundas colunas tratadas na derme (camada intermediária da pele), deixando áreas de pele intacta ao redor. Este tratamento fracionado permite que a pele se recupere mais rapidamente do que se toda a área fosse tratada de uma só vez. O uso dependerá da indicação específica.

– Luz intensa pulsada – A luz emitida é absorvida por um alvo específico na pele, produzindo calor suficiente para destruição de manchas escuras, colabamento de pequenos vasos e remodelação do colágeno. Haverá melhora tanto das manchas escuras e avermelhadas, quanto das cicatrizes, pelo estímulo do colágeno.

– Preenchimentos – se as cicatrizes são deprimidas e se quando distendidas há melhora do seu aspecto, pode ser possível obter um bom resultado estético preenchendo-as. O preenchimento é um procedimento em que um produto adequado (ácido hialurônico) é injetado sob a lesão, elevando-a ao nível da pele normal.

– Subcisão – algumas cicatrizes além de deprimidas são aderidas a camadas mais profundas da pele. Com o auxílio de uma agulha específica, é possível “descolar” essas cicatrizes, elevando-as.

– Radiofrequência – a aplicação de radiofrequência não ablativa ou RF fracionadaestimula as células da derme (camada intermediária da pele) a contrair o colágeno existente e estimular produção de colágeno novo. Essa técnica pode ser utilizada no tratamento das cicatrizes de acne.

– Associações – frequentemente um método isolado é insuficiente para o tratamento das sequelas de acne. Portanto, se necessário, é indicado uma associação de métodos para otimizar o resultado final.